psicovida.jpeg

Novidade!

- Novo artigo publicado
   Recentemente, o Projeto PSIcovidA publicou um novo trabalho investigando os efeitos da pandemia de COVID-19 sobre a saúde mental dos profissionais de saúde. Neste trabalho investigamos a possível ocorrência de uma reação de defesa durante os eventos traumáticos relacionados à pandemia. Essa reação de defesa, conhecida como imobilidade tônica, está presente em diferentes espécies animais, e nos últimos anos, foram descobertas evidências biológicas de sua existência também em humanos, em diferentes contextos e grupos. A imobilidade tônica tem como características principais a incapacidade de realizar movimentos mesmo que a pessoa queira fazê-los, impossibilidade para falar, com uma preservação da percepção consciente do ambiente. Evidências na literatura científica, inclusive do nosso grupo de pesquisa, mostram que esta imobilidade aumenta as chances da pessoa de desenvolver o Transtorno do Estresse Pós-Traumático.
   Diante da nossa curiosidade em compreender se essa reação também poderia se apresentar em profissionais de saúde no contexto da pandemia, investigamos se a ocorrência dessa reação está associada com o desenvolvimento e maior gravidade de sintomas do Transtorno de Estresse Pós-traumático (TEPT), uma vez que este é um transtorno grave e que afeta o funcionamento do indivíduo.
   Investigamos, neste trabalho, diferentes eventos potencialmente traumáticos associados com a COVID-19, entre eles: presenciar a morte de paciente, familiar ou colega de trabalho, saber da morte de familiar ou colega de trabalho, ter um familiar ou colega de trabalho em risco de morte, ser exposto a pacientes graves contaminados, ser contaminado ou ter contaminado alguém próximo.
   Os resultados do desenvolvimento desta pesquisa sugerem que 25,6% da amostra coletada apresenta uma gravidade de sintomas compatíveis com  um provável diagnóstico de TEPT. Observamos também que, em todos os eventos traumáticos investigados e vivenciados durante a pandemia possivelmente houve ocorrência importante de imobilidade tônica em 41% da amostra.      Além disso, com os dados investigados, verificamos que a ocorrência dessa reação pode aumentar em cerca de 9 vezes a chance de um provável diagnóstico deste transtorno.
   Esses resultados nos mostram a importância de uma melhor investigação sobre a ocorrência dessa resposta de defesa no contexto da COVID-19, sabendo que poderemos vivenciar situações semelhantes a esta pandemia futuramente. A reação de imobilidade tônica, vem sendo associada, muito frequentemente, ao sentimento de culpa muito intenso, causando sofrimento emocional. No entanto, é muito importante destacar que esta reação é reflexa e involuntária, ou seja, aqueles que a apresentam quando vivenciam uma situação traumática, não têm controle sobre ela. Acreditamos que um maior conhecimento sobre a ausência de controle sobre esta reação pode trazer alívio emocional e psíquico e diminuir as chances de desenvolvimento e agravamento dos sintomas do Transtorno de Estresse Pós-traumático.
   Este trabalho foi publicado na revista Journal of Anxiety Disorders, com fator de impacto 13.711, com o título “Tonic immobility is associated with posttraumatic stress symptoms in healthcare professionals exposed to COVID-19-related trauma” (Imobilidade Tônica está associada com sintomas de estresse pós-traumático em profissionais de saúde expostos a traumas relacionados à COVID-19). O conteúdo integral do artigo você poderá encontrar no link abaixo.

Nova publicação do PSIcovidA já está disponível!
Clique aqui e acesse

Nossa primeira publicação já está disponível!
Clique aqui e acesse

Capa Boletim.png

- Boletim Informativo PSIcovida_I
Informa e divulga para a população geral os dados obtidos com a primeira etapa da pesquisa.

 

PSIcovidA na Mídia

Live de divulgação do primeiro Boletim Informativo:

Pesquisa UFF

psicovida.jpeg

Como todos sabemos, estamos vivenciando a pandemia da COVID-19, que acomete o planeta com uma gravidade ainda não experenciada em nossa história recente.
Com o intuito de investigar a saúde mental de profissionais que atuam em unidades de atendimentos elaboramos o
PSIcovidA 1
Entretanto, com o prolongamento da pandemia e seus efeitos, iniciamos o
PSIcovidA 2 o qual irá investigar os efeitos da pandemia em profissionais e estudantes do ensino superior e profissionais do ensino básico. 

Ambas as pesquisas buscam entender  a realidade  que está sendo vivenciada, suas maiores dificuldade e impactos, para que se possam elaborar políticas públicas que minimizem o sofrimento e que reduzam o desenvolvimento de patologias graves.